DISCOGRAFIA > BALANGANDÃS

MÚSICAS
 

1. Imperador do Samba

(Waldemar Silva)

2. Camisa Listada

(Assis Valente)

3. Tic Tac do meu coração

(Walfrido Silva/Alcyr Pires Vermelho) 

4. Disseram que eu voltei americanizada

(Luiz Peixoto/Vicente Paiva)

5. Touradas em Madri

(João de Barro (Braguinha)/Alberto Ribeiro)

6. E o mundo não se acabou

(Assis Valente)

7. Ao voltar do samba

(Synval Silva)

8. Na batucada da vida 
(Ary Barroso/Luiz Peixoto)

9. Diz que tem

(Vicente Paiva/Hannibal Cruz)

10. A preta do acarajé
(Dorival Caymmi)

11. Recenseamento
(Assis Valente)

12. O samba e o tango

(Amado Regis)

13. Tico-tico no fubá

(Zequinha de Abreu/Aloysio de Oliveira)

14. Chattanooga Choo-choo

Harry Warren/M Gordon/Aloysio de oliveira

15. Adeus Batucada

(Synval Silva)

 

MÚSICOS

 

Dante Ozzetti violões

Mário Manga guitarras, violoncelo e violão tenor

Sérgio Reze bateria e gongos melódicos

Zé Alexandre Carvalho contrabaixo

 

PARTICIPAÇÃO ESPECIAL

Danilo Moraes violão tenor em

“O samba e o tango” 

 

FICHA TÉCNICA

 

Produzido por Ná Ozzetti, Dante Ozzetti,

Mário Manga, Sérgio Reze, Zé Alexandre Carvalho e Alberto Ranellucci.

 

Todos os arranjos foram desenvolvidos coletivamente pelos músicos presentes neste trabalho. 

Alguns arranjos foram pré-concebidos por
Dante Ozzetti “Imperador do Samba”, “Recenseamento”, “Camisa Listada”,

“Na batucada da vida”, “E o mundo não se acabou”, “Tic-tac do meu coração”, “Ao voltar do samba”,

“O samba e o tango”, “Adeus Batucada”. 
Mário Manga “Touradas em Madri”,

“Chattanooga Choo Choo”, “Diz que tem”,

“A Preta do Acarajé”. 
 

Gravado por Alberto Ranellucci no

NaCena Studios, SP, em janeiro/2009. 
Assistentes Jeremias Straijer, Rodrigo "Funai' Costa e André Hamoui 
Mixado e masterizado por Alberto Ranellucci no Back Estúdio 

Concepção da capa André Salerno 
Pintura da capa Leonora Weissmann 

Produtor Fonográfico Ná Records 

Lançamento MCD 
Direção geral de Eduardo Muszkat 

Agradecimentos

Luana Ozzetti, André Salerno, Leonora Weissmann, MCD, equipe do NaCena Studios.

BALANGANDÃS por Ná 

 

“Em meados de 2007, começamos a ensaiar os primeiros arranjos das canções do Balangandãs.

 

Depois de eu ter ouvido mais de 200 gravações e feito uma seleção ao meu próprio gosto, nós trabalhamos 18 canções dos compositores Assis Valente, Synval Silva, Ary Barroso, Braguinha, Dorival Caymmi, Waldemar Silva, Alcyr Pires Vermelho e Valfrido Silva, entre outros, canções que foram eternizadas, em magníficas interpretações na voz da Carmen Miranda.

 

As gravações originais são um primor no que diz respeito aos arranjos e as performances, seja das orquestras, do Bando da Lua e, obviamente, da Carmen, que nos inspiraram a manter a essência musical desses originais. Então, partindo deste princípio, Dante Ozzetti e Mário Manga, cada um se responsabilizando por um número de canções, trouxeram para o grupo os pré-arranjos, que foram depois trabalhados por todos com muita liberdade e ganharam toques preciosos das personalidades musicais de cada um. Foi um processo extremamente prazeroso. Nossa banda era formada por Dante (violão), Manga (guitarra, violoncelo e violão tenor), Sergio Reze (bateria e gongos melódicos), Zé Alexandre Carvalho (contrabaixo acústico) e eu.

 

Em 2008 estreamos e fizemos uma série de shows. Em janeiro de 2009 convidamos o Alberto Ranellucci para produzir conosco o CD, gravar, mixar e masterizar. Gravamos em três dias corridos no estúdio NaCena em SP.

 

 

BALANGANDÃpor Luiz Tatit

 

Carmen Miranda criou um modo de cantar que desapareceu com a própria cantora em 1955. Depois disso, surgiram (e surgem) intérpretes brasileiras excepcionais em todos os sentidos, mas nenhuma com “Carmen Miranda” na voz. Esse elo perdido só foi recuperado na década de 1980, com o aparecimento de Ná Ozzetti. Além dos recursos que caracterizam uma grande cantora (belo timbre, alcance vocal, técnica etc.), Ná dispõe da mesma aptidão de sua precursora para manter o canto numa região melódica fluida entre a música e a linguagem oral, onde os contornos cantados são muito próximos das entoações da fala. É desse lugar que emana a força expressiva que só as duas cantoras conseguem manejar com tanta habilidade. Consciente desse talento especial, Ná já havia gravado há alguns anos o esplêndido samba de Sinval Silva, “Adeus Batucada” (cd Show), reproduzindo todos os torneios melódicos de Carmen e encantando os ouvintes com um estilo que até então parecia irrecuperável.

Agora, Ná Ozzetti nos presenteia com Balangandãs, um espetáculo e um CD completo dedicado à pequena notável, reapresentando minuciosamente os melismas vocais e as insinuações interpretativas que deram identidade ao seu canto. Como se não bastasse, um vocal afiadíssimo, ao estilo “Bando da Lua”, faz contraponto à voz principal tornando a performance ainda mais vibrante. Esse coro é executado pelos próprios membros da banda, os músicos Dante Ozzetti, Mário Manga, Zé Alexandre Carvalho e Sérgio Reze. O repertório é um verdadeiro desfile de obras-primas de autores que já compunham pensando em Carmen Miranda. Figuram, entre eles, Assis Valente, Ary Barroso, Dorival Caymmi e João de Barro.
 

Resta dizer que Ná Ozzetti ainda traz toda a exuberância cênica de Carmen para dentro da voz. Enquanto suas mãos e seu corpo apenas citam os gestos da grande artista, a perfeição do canto nos permite recompor mentalmente as conhecidas coreografias. É um mergulho no passado com a competência do presente.

 

Luiz Tatit é compositor, doutorado e professor titular do Depto. de Lingüística da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP.

 

BALANGANDÃS by Luiz Tatit

 

Carmen Miranda created a new style of singing that disappeared with the singer in 1955. After this there were (and still are) exceptional Brazilian singers in every way but none like Carmen Miranda in terms of voice. This missing link was only recouped in the decade of the 1980s through the appearance of Ná Ozzetti. Besides the resources which characterize a great singer (beautiful tone, vocal range, technique, etc.), Ná displays the same aptitude as her predecessor to maintain song in a melodically fluid region between music and oral language, where the sung contours are very close to the singing aspect of speech. It is from this place that the expressive force that only two singers can manage with such ability comes.

 

Now, on the eve of the celebration of the year of birth of the most cinematographic singer that we have ever had, Ná Ozzetti gives us Balangandãs, a complete show dedicated to the “little noticeable one”, meticulously reintroducing the delicate vocals and the interpretative insinuations that brought identity to her song. As if this weren’t enough, a highly tuned vocal, in the style of “Bando da Lua”, juxtapositions itself to the main voice and makes the show even more alive. This chorus is conducted by the very members of the band, the musicians of Dante Ozzetti, Mário Manga, Zé Alexandre Carvalho and Sérgio Reze. The repertoire is a true parade of masterpieces of authors that composed while thinking of Carmen Miranda. These composers include Assis Valente, Ary Barroso, Dorival Caymmi and João de Barro.

 

It is worth repeating that Ná Ozzetti still delivers all of the scenic exuberance of Carmen within her voice. While her hands and body only hint at the gestures of this great artist, the perfection of her song allows us to mentally reclaim the recognized choreographies. It is a dive in the past with the competency of the present.

 

Luiz Tatit. Compositor, Professor of the Linguistics Department of the University of São Paulo

 

Ná Ozzetti launches the CD "BALANGANDÃS" with songs by Assis Valente, Synval Silva, Ary Barroso, Dorival Caymmi and Braguinha, among others. After a successful season that began in the second semester of 2008, the singer launches the CD BALANGANDÃS. Studio-recorded in January 2009, the CD brings new arrangements and interpretations of some classics of Brazilian Popular Music.

The work was developed collectively by Ná and the musicians Dante Ozzetti (guitar), Mario Manga (guitar, tenor guitar and cello), Sergio Reze (drums) and Zé Alexandre Carvalho (acoustic bass), and depicts an original and contemporary music scene of the 30's and 50's.

BALANGANDÂS brings songs by Assis Valente (Camisa Listada, Recenseamento), Synval Silva (Adeus Batucada, Ao voltar do samba), Ary Barroso (Na batucada life), Dorival Caymmi (A preta do acarajé) and Braguinha (Touradas em Madri), among others.

Ná's interest in the work of these composers is the legacy of her early career, when she was part of Grupo Rumo. At that period, the early 1980s, the group researched the work of composers not very well known such as Noel Rosa, Lamartine Babo and Sinha. The group dedicated a series of concerts to those composers and recorded the LP Rumo aos Antigos (1981).


 

FOTOS

VIDEOS

IMPRENSA

© 2015 Ná Ozzetti. Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por 

Guia da Folha 2009